Mineirinho avança e Medina e Alejo fazem os recordes do dia na África do Sul

By WSL South America | 14 de julho de 2015 | noticias

O paulista Adriano “Mineirinho” de Souza despachou o norte-americano Dane Reynolds para seguir defendendo a ponta do Jeep Leaderboard no J-Bay Open, mas quem brilhou nas ondas de 2-4 pés da terça-feira em Supertubes foram o campeão mundial Gabriel Medina e o catarinense Alejo Muniz, que fizeram os recordes do dia na África do Sul. Além deles, outro integrante da “seleção brasileira” do WCT que se destacou foi o paulista Wiggolly Dantas, ao derrotar o campeão mundial Joel Parkinson no primeiro duelo do dia. Os quatro agora terão duas chances de classificação para as quartas de final da sexta etapa do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour, que tem prazo até domingo para ser encerrada em Jeffreys Bay.

Adriano de Souza (Foto: Kelly Cestari – WSL)
Adriano de Souza (Foto: Kelly Cestari – WSL)

“Cada dia o mar é diferente aqui e você tem que se preparar para qualquer tipo de condição”,disse Adriano de Souza. “Eu queria ter competido nas condições incríveis de ontem (segunda-feira), mas minha bateria ficou para hoje e foi bem difícil minha bateria porque não deu muita onda boa. Eu notei isso logo e tentei colocar pressão nele (Dane Reynolds), o que acabou dando certo. Estou feliz por seguir em frente e me sinto realmente preparado para J-Bay. Eu cheguei aqui dez dias antes de começar o evento para treinar e espero sair daqui com mais um bom resultado”.

Na primeira rodada classificatória para as quartas de final, Mineirinho vai enfrentar o norte-americano Nat Young e o também paulista Wiggolly Dantas, que abriu a terça-feira com uma vitória expressiva sobre o experiente campeão mundial Joel Parkinson. Adriano agora pode ganhar vantagem na corrida do título mundial, principalmente depois da eliminação do vice-líder, Filipe Toledo, para o seu companheiro de equipe, Alejo Muniz, no confronto brasileiro que fechou o dia em Jeffreys Bay. Filipe liderava a bateria com notas 8,33 e 8,90 até os últimos minutos, quando o catarinense achou uma onda excelente e manobrou forte para arrancar a maior nota do dia, 9,80. Com ela, virou o placar para 17,83 a 17,23 pontos. No ano passado, os dois também se enfrentaram em Jeffreys Bay e o resultado foi o mesmo.

Alejo Muniz (Foto: Kirstin Scholtz – WSL)
Alejo Muniz (Foto: Kirstin Scholtz – WSL)

“Eu não sei de onde essa onda veio, mas eu sabia que seria a única chance que eu tinha pra vencer”, disse Alejo Muniz. “O Filipe (Toledo), para mim, é o melhor surfista do momento. Ele não precisa de uma grande onda para obter as pontuações mais altas, mas essa minha última onda foi incrível. No ano passado eu sai do CT, mas aprendi muito e coloquei tudo em prática no QS esse ano, que era meu objetivo principal nessa temporada. Eu já garanti minha vaga para o ano que vem e estou feliz por ter mais uma oportunidade de fazer algumas baterias aqui em J-Bay”.

Não fosse a nota 9,80 de Alejo Muniz, Gabriel Medina teria sido o recordista absoluto da terça-feira em Supertubes. Ele não deu qualquer chance para o australiano Matt Wilkinson e saiu arriscando seus aéreos espetaculares logo na primeira onda que surfou e valeu nota 9,47. Na segunda tirou 9,07, que depois trocou pelo 9,60 que recebeu em sua última apresentação para fazer o maior placar do J-Bay Open esse ano, 19,07 pontos de 20 possíveis. Finalmente, Medina surfou como um campeão mundial e ele necessita de bons resultados para sair da incômoda vigésima posição no ranking que garante os 22 primeiros para a elite dos top-34 do ano que vem.

“Foi uma bateria muito divertida e fiquei feliz porque surfei um monte de ondas boas”, disse Gabriel Medina, que terá um confronto de quinze títulos mundiais na quarta fase, contra Kelly Slater (11) e Mick Fanning (3), que defende o título do J-Bay Open e está na briga direta pela liderança do ranking. “O ano tem sido muito difícil para mim e foi bom ter passado da terceira fase aqui. A próxima rodada não é eliminatória, então dá para surfar mais relaxado porque tem outra chance de classificação. Dá para escolher melhor as ondas e eu só quero continuar surfando o melhor que posso nas baterias”.

Gabriel Medina (Foto: Kelly Cestari – WSL)
Gabriel Medina (Foto: Kelly Cestari – WSL)

Nesta quarta fase, os vencedores das baterias avançam direto para as quartas de final, mas os perdedores têm uma segunda chance de classificação na última repescagem do campeonato. A primeira vaga será disputada pelos australianos Julian Wilson, Kai Otton e Adrian Buchan. A segunda bateria terá participação dupla do Brasil, com Adriano de Souza e Wiggolly Dantas enfrentando o norte-americano Nat Young. Depois vem o confronto de campeões mundiais com o defensor do título, Gabriel Medina, Mick Fanning e Kelly Slater. E a batalha pela última vaga direta para as quartas de final será entre o taitiano Michel Bourez, o havaiano Keanu Asing e o brasileiro Alejo Muniz.

O J-Bay Open está sendo transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e também pela Fox Sports para a Austrália, pela MCS Extreme para a França, EDGE Sports para a China, Coréia do Sul, Malásia e outros territórios e no Brasil terá cobertura especial da TV Globo e dos canais ESPN. O link também pode ser acessado clicando-se no banner do evento na capa do www.wslsouthamerica.com e a primeira chamada da quarta-feira está marcada para as 7h30 em Jeffreys Bay, 2h30 da madrugada pelo fuso horário de Brasília.

—————————————————————————————

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

—————————————————————————————

QUARTA FASE DO J-BAY OPEN – Vitória=Quartas de Final / 2.o e 3.o=Quinta Fase:

1.a: Julian Wilson (AUS), Kai Otton (AUS), Adrian Buchan (AUS)

2.a: Adriano de Souza (BRA), Nat Young (EUA), Wiggolly Dantas (BRA)

3.a: Mick Fanning (AUS), Kelly Slater (EUA), Gabriel Medina (BRA)

4.a: Michel Bourez (TAH), Keanu Asing (HAV), Alejo Muniz (BRA)

TERCEIRA FASE – Vitória=Quarta Fase / Derrota=13.o lugar com 1.750 pontos e US$ 10.000:

————-baterias que fecharam a segunda-feira:

1.a: Adrian Buchan (AUS) 15.50 x 15.40 Owen Wright (AUS)

2.a: Kai Otton (AUS) 15.50 x 12.83 Italo Ferreira (BRA)

3.a: Julian Wilson (AUS) 17.94 x 8.40 Fredrick Patacchia (HAV)

4.a: Nat Young (EUA) 16.87 x 8.03 Adam Melling (AUS)

————-baterias realizadas na terça-feira:

5.a: Wiggolly Dantas (BRA) 15.13 x 12.40 Joel Parkinson (AUS)

6.a: Adriano de Souza (BRA) 13.17 x 11.90 Dane Reynolds (EUA)

7.a: Mick Fanning (AUS) 17.50 x 13.83 C. J. Hobgood (EUA)

8.a: Gabriel Medina (BRA) 19.07 x 16.07 Matt Wilkinson (AUS)

9.a: Kelly Slater (EUA) 14.16 x 12.27 Kolohe Andino (EUA)

10: Keanu Asing (HAV) 14.83 x 12.33 Josh Kerr (AUS)

11: Michel Bourez (TAH) 15.67 (9.50) x (8.10) 15.67 Bede Durbidge (AUS)

12: Alejo Muniz (BRA) 17.83 x 17.23 Filipe Toledo (BRA)

Tags:, , , , , , , , , , , , , , ,